Dear Cupid, next time hit both.









segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Letter to my crush.

Querido Rui,

Esta carta serve para declarar oficialmente a minha paixão platónica por ti. Bom, não é oficialmente, porque tu não vais lê-la e, mesmo que a lesses, não saberias que sou eu que a escrevo. A verdade é que tenho este fraquinho por ti desde que te conheci, ainda no liceu, lembras-te? Eu namorava com um dos teus melhores amigos, vi-te uma vez com ele e na vez seguinte sorri-te, e tu foste dizer-lhe que eu era muito simpática. Depois começámos a falar na net, mesmo depois de eu ter acabado tudo com ele... e, por vezes, tornava-se arrepiante. Éramos tão parecidos que dizíamos as mesmas coisas ao mesmo tempo. E depois tu és giro e tens esse sorriso lindo, lindo de morrer... e és simpático, e humilde e nada convencido, e tocas guitarra, e tens um coração enorme e és sensível mas não em demasia, e tens aquela capacidade de te apaixonares por uma rapariga e não ter olhos para mais ninguém, e és ambicioso... e vives do outro lado do Mundo. E eu, eu que tenho esta pancada enorme por ti desde sempre, nunca te disse porque tu estás tão longe que nem valia muito a pena tornar esta coisa real para depois não ser rigorosamente nada. Para isso, eu fico com os meus sonhos - o de que um dia tu vens cá visitar a tua família, combinamos um café e tu apaixonas-te por mim e ficas cá, ou o de que eu vou visitar-te - e vou, juro que vou - e tu apaixonas-te por mim e eu fico aí. Sabes quantas vezes já imaginei como poderia ser o nosso primeiro beijo? Nem te digo, para não teres uma noção de quão ridícula sou, nem da puta da pancada que tenho por ti... E pronto, era só isto, espero sinceramente que não voltes a apaixonar-te até eu voar para aí (egoísta, eu sei, quero lá saber), para depois poderes perceber que a mulher da tua vida sou eu. Ah, e eu não me esqueci de que nós vamos casar se nenhum de nós encontrar outra pessoa até aos 40 anos (agora que penso nisso, fui um bocado estúpida, não podia ter baixado o limite até aos 26?! Duh... Anyway, fingers crossed, espero mesmo que não encontres ninguém até lá...).

Da tua mais sincera, ridícula e eterna (juro, eterna!) platonicamente apaixonada...

Sofia*

#2 LETTER TO YOUR CRUSH

10 comentários:

  1. adorei a carta.... e como já te disse, tu vai para lá rapariga!! faz as malas e, num acto de loucura, mete-te na porra de um avião : casa já tens :p

    e obrigada... *.* felizmente, consegui ultrapassar mais esta má fase... muito graças a ele... e ao apoio infidável da minha té :)

    ResponderEliminar
  2. os ruis normalmente são boas pessoas.......=P

    ResponderEliminar
  3. Temos umas capacidades tão estranhas e engraçadas e 'estes amores' são deveras cómicos :) E como é sempre tão bom ler-te! Beijinho

    ResponderEliminar
  4. lembrei-me agora: ficaste de me dizer qual era o objetivo daquele desafio que me fizeste, ou ainda tens mais ideias do genero para futuras oportunidades( proxima semana por exemplo)

    ResponderEliminar
  5. Joana: eu quero ir, mas tenho outros projectos a realizar primeiro... :) ainda bem que conseguiste, e ainda bem que tens a té ao teu lado :) beijinho*

    Riga: isso já não sei lol... sim quando der digo-te por mail

    Misa: pois temos hehe :) obrigada ;)*

    Sabor adocicado: obrigada :)*

    ResponderEliminar
  6. eu acho que devias mesmo ir. so uns dias, por agora ..

    ResponderEliminar
  7. eh pah nao percebeste a piada do 1º comentario.lol

    tu sabes o meu nome por isso disse aquilo.lol

    ResponderEliminar
  8. Ele pode (re)encontrar uma pessoa: TU!!!
    Adorei essa tua paixoneta, adorei esta carta! Adorei! Lembrou-me das minhas, variadíssimas, paixonetas (não tão platónicas), mas enfim eu não conto xD

    ResponderEliminar
  9. Amável Pinto: tal como disse à joana, agora impõem-se outros projectos... ;)

    Riga: claro que percebi, tu é que não percebeste a piada do meu lol

    Eve: ai era tão bom... ainda bem que gostaste :) e eu acho que devias contar :P

    ResponderEliminar